Dica Cultural

alexandre-keto

Alexandre Keto leva sua arte para as ruas de Baltimore

O artista plástico foi especialmente convidado para colaborar com a revitalização da cidade norte-americana de Baltimore

Após participar da 3ª Bienal Internacional de Graffiti Fine Art e ser indicado ao prêmio internacional BIB – Exposição Internacional de Ilustradores de Livros Infantis pelo trabalho realizado no livro infanto-juvenil Num Tronco de Iroko vi a Iúna cantar (Editora Peirópolis), de Erika Balbino, o artista plástico Alexandre Keto foi convidado pelo Pastor Donte Hickman para ajudar na reconstrução e revitalização d cidade de Baltimore, nos Estados Unidos.

Durante as manifestações contra o assassinato do jovem negro Freddie Gray, motivo pelo qual a polícia tem sido investigada pela justiça federal, o pastor teve o seu asilo incendiado. Em decorrência disso, no mês de maio, Keto irá ajudar a revitalizar a região com a construção de dois painéis: um em um centro comunitário para pessoas portadoras de HIV, fundado pela mãe do Pastor Donte, e outro a céu aberto, ambos com a participação dos jovens da cidade de Baltimore, inclusive alguns brasileiros.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Veja link: http://www.cnn.com/videos/us/2015/04/28/ctn-sot-pastor-baltimore-senior-center-fire-riot-freddie-gray.cnn

Keto ainda fará visitas a outros centros e líderes comunitários de Baltimore, além do Museu Afro de Washington, ocasião na qual estará ao lado da diretora educacional do museu e estudantes da escola de arte local. O artista depois segue para Nova York, onde realizará outros painéis e workshops para estudantes das escolas de arte Waverly e Artistic Noise (Harlem).

por Patrícia Martins / Pedro Sant’Anna 

 

Eventos importantes recebem Alexandra Loras como convidada

Alguns dos eventos mais importantes do mês de maio terão a participação de Alexandra Loras como participante.

Para convidar Alexandra Loras para um evento: consulesa@alexandraloras.com.bralexandraloras.com:a

 

Confira os locais e datas para não perder nenhum:

 

  • Educafro

Quando? Dia 17 de maio, das 9h00 às 12h00

Onde? Rua Riachuelo, 342 – centro – São Paulo

O que vai rolar? Alexandra Loras quer conhecer pessoas que tenham feito TCC, Mestrados ou pesquisas com temas ligados à África, preconceito, racismo, discriminação, enfim, temas ligados à cultura afro.

Contatos: militancia@educafro.org.br | (11) 3106.8859

 

  • TED

Quando? 28 de maio, das 8h30 às 21h00 (Participação de Alexandra Loras das 9h30 às 11h30)

Onde? No auditório do MASP, na Av. Paulista, estação TRIANON/MASP do Metrô

O que vai rolar? Doze mulheres que fazem a diferença no que se propuseram, falarão de suas ações, pensamentos e ideias para outras 400 mulheres.

Contatos: Via Site

 

  • XIX Seminário Afro Alagoano

Quando? 22 e 23 de maio, às 16h00

Onde? Alagoas

O que vai rolar? Palestra sobre o cotidiano do racismo contemporâneo e a construção das relações humanas

Contatos: raizesdefricas@gmail.com | (82) 8827-3656 | (82) 3231-4201

 

  • Google

Quando? 14 de maio, das 17h00 às 1900

Onde? Na sede da Google Brasil

O que vai rolar? Bate-papo com os funcionários da Google Brasil, para conhecer mais sobre sua trajetória, sua visão sobre igualdade racial e outros temas, além de troca de experiências e opiniões.

Evento privativo, reservado a funcionários

 

  • Pré Internacional Day

Quando? 11 de maio, às 11h00

Onde? Agência de turismo Seletions – Avenida Europa, 367

O que vai rolar? Evento beneficente com bate-papo sobre a atual situação da França e da Europa com relação à xenofobia, imigração, preconceito e atentados terroristas.

 

Thatiana Nunes | Redatora do Blog AlexandraLoras.com

Jovem Hacker: projeto apoia desenvolvimento tecnológico

alexandraloras.com:hakersJovem Hacker é um projeto com o objetivo de auxiliar a formação de uma geração autônoma tecnologicamente para que esteja melhor preparada para definir os rumos do desenvolvimento tecnológico da sociedade.

O compartilhamento de conhecimentos para a construção de uma cultura digital, software livre, recursos e dados abertos, também incentiva o trabalho colaborativo.

Para se inscrever no projeto, basta clicar aqui e será migrado para a página.

O projeto Jovem Hacker é uma iniciativa do NIED (Unicamp) e do Coletivo Revoada. Em 2015, o projeto está sendo conduzido em duas cidades (Campinas e Capivari) com experimentações e currículos distintos, mas com planejamento conjunto.

Para contatos: contato@jovemhacker.org

Thatiana Nunes | Redatora do Blog AlexandraLoras.com

Livro reforça trabalhos intelectuais desenvolvidos por negras e negros

O livro do historiador Carlos Eduardo Dias Machado, lançado pela editora EDUEL, faz referências a negras e negros que tiveram papel importante no desenvolvimento da humanidade, mas que foram omitidos ou esquecidos nos livros e nas histórias contatas de geração em geração.

sempre-é-a-hora-certa-de-fazer-a-coisa-certa

O esfregão e o balde que o acompanha foram criados pelo inventor negro Thomas Stewart, em 1893. Já a sonda ultravioleta foi criada por George R. Carruthers, em 1972. Sua invenção foi utilizada na missão Apollo 16 à Lua. (Informações extraídas do livro “Negros e negras inventores, cientistas e pioneiros”)

Machado conta que ao ver uma publicidade do McDonald’s, aos 25 anos, se deu conta da invisibilidade do negro nos campos da tecnologia, ciência e inovação.

publicidadeEra fevereiro de 1996  e o anúncio da rede de fast food aparecia numa edição da revista norte-americana Ebony, voltada para afrodescendentes.

Na publicação do Mc Donald’s, em homenagem ao Mês da História Negra, haviam ilustrações de objetos inventados por pessoas negras. E eram invenções que fazem toda a diferença no mundo de hoje, como: semáforo, geladeira, caneta tinteiro, filamento de carbono para a lâmpada elétrica, etc e o título da publicação era: “Toda vez que você usa uma dessas coisas, está celebrando a história negra”.

Fiquei feliz ao saber disso, mas ao mesmo tempo muito espantado por nunca ter ouvido sobre inventores negros antes e nunca ter recebido essas informações na escola”, conta.

Machado começou uma pesquisa no mesmo ano e descobriu que não havia um único livro em português que fizesse referência a inventores e cientistas negros. “Pensei: ‘alguém tem que escrever esse livro. E porque não eu’?”, lembra.

Negras-e-Negros-Inventores1-708x500

E assim Machado empenhou-se e em sua pesquisa e o fez. Seu livro foi lançado em Londrina/PR e São Paulo/SP em março de 2013, pela EDUEL (Editora da Universidade de Londrina, em parceria com a Uniafro do Ministério da Educação). A publicação faz parte da série “Nossos saberes, nossos conhecimentos, lançada pelo Núcleo de Estudos Afro-Asiáticos da Universidade de Londrina.

A importância desta obra vai além do que possamos conceber, uma vez que é a oportunidade de finalmente dar nome aos negros que fizeram parte de nossa evolução científica, intelectual, social e em todas as amplitudes.

É um livro que merece lugar nas leituras curriculares, nas tarefas de sala de aula, nas prateleiras das casas.

Sobre o autor:

Carlos Eduardo Dias Machado

carlos

  Professor Mestre em História Social pela USP

  Ex-bolsista da Fundação Ford

Professor da rede pública de ensino

Obra: “Negros e negras inventores, cientistas e pioneiros

Thatiana Nunes | Redatora do Blog AlexandraLoras.com

Você também vai gostar:

XII Semana Martin Luther King com debate sobre preconceito na atualidade

Dia 14 de Abril, aconteceu um evento gratuito no Teatro SESC Vila Mariana,

para prestigiar a XII Semana Martin Luther King

martin luther king

“Assim como fomos condicionados, de geração em geração, a acreditar que o homem era superior à mulher, também fomos condicionados a crer que homens brancos eram superiores a homens negros.” 
(Alexandra Loras)

martin luther king

O evento reforçou alguns temas importantes sobre o cenário da discriminação do Brasil e trouxe a tona a discussão de como desfazer a cultura do preconceito racial.

Alexandra Loras dividiu palco com Renato Janine Ribeiro, nosso Ministro da Educação, elevando o debate sobre o tema “A Linha de Montagem do Preconceito – Reprodução de uma Mentira”.

Outros convidados também trouxeram a tona temas importantes para desvendar a subliminaridade do preconceito racial no Brasil, através de experiências de outros países.

O tema “Estados Unidos: Uma Perspectiva Atual” trouxe a tona as conquistas dos Direitos Civis, de políticas públicas eficazes e ações governamentais americanas para lutar contra a discriminação.

“Imagine-se num mundo em que tudo o que há de melhor e mais belo, inteligente, foi feito por negros. As divindades sendo negras e tudo o que fosse pior, negativo, ruim, fosse atribuído à brancos? Como é que algum branco poderia desenvolver sua dignidade, despertar seus potenciais?”
(Alexandra Loras)
Thatiana Nunes | Redatora do Blog AlexandraLoras.com